Congresso
Vocę Participaria de um Congresso Bíblico?
Sim
Năo
Ver Resultados

Partilhe esta Página



Total de visitas: 54427
BATISMO
BATISMO

BATISMO: O que é?

 

O Batismo Regenera e Salva?

Todo indivíduo nascido no mundo tem a natureza pecami­nosa e é um pecador que necessita de salvação. Esta é uma verdade fundamental das Sagradas Escrituras (Salmos 52:5; Romanos 5: 12; Efésios 2:3) que muitas pessoas reconhecem. Por isso, muitos concordam que é preciso nascer de novo para entrar no céu, como disse o Senhor Jesus em João 3:3: "Se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus".

Mas como se pode obter este novo e necessário nascimento espiritual, ter os pecados lavados e ser salvo do juízo vindouro? Muitas teorias são apresentadas no tocante ao meio de ir para o céu, e várias doutrinas concer­nentes à salvação da alma são sustentadas por diferentes escolas religiosas. Em que devemos acreditar? Como podemos saber o verdadeiro caminho da salvação entre todas as teorias e doutrinas conflitantes de homens?

"Pois que diz a Escritura?" (Romanos 4:3) deveria ser a nossa diligente indagação. "À lei e ao testemunho!", diz o profeta Isaías. "Se eles não falarem desta maneira, jamais verão a alva" (8:20).

O que Ensinam Alguns

Alguns acreditam e ensinam que o batismo nas águas é o sacramento pelo qual se conclui o novo nascimento e se recebe a salvação eterna. Esses nos diriam: "O batismo opera o perdão dos pecados, livra da morte e do diabo e confere a salvação eterna a todos os que crêem nisto". O batismo, dizem eles, é o meio pelo qual o Espírito Santo faz que nos apropriemos de todas as grandes coisas que Cristo fez por nós. É "o meio eterno, associado à Palavra de Deus, que oferece ao homem a graça que Cristo mereceu, comunica-lhe essa graça e com ela o sela" (Catecismo Luterano). Sem o batismo, dizem, não se pode alcançar o céu - nem mesmo uma inocente criança. Se uma pessoa é batizada, ela é regenerada, feita nova, e recebida na comunhão do Deus trino, segundo este ensinamento.

Uma Ordenança Divinamente Instituída

O batismo é uma ordenança divinamente instituída, à qual todo verdadeiro filho de Deus tem de se submeter. Esta é uma verdade estabelecida na Bíblia. Conforme Mateus 28:19, a ordenança do batismo é para "todas as nações" e está relacionada com a promessa feita por Cristo de estar conosco "até a consumação do século" (v. 20). Isto é o que ensinamos e em que realmente cremos. Mas as Escrituras nunca ensinam que o batismo é uma ordenança salvadora, que proporciona a salvação eterna e o novo nascimento para a alma. Examinemos a Palavra de Deus para ver o que ela diz sobre batismo, salvação e novo nascimento.

A Ordem para Batizar

Em Mateus 28:19, o Senhor comissiona seus discípulos para ir e fazer" discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado". Primeiro, eles deveriam discipular todas as nações e depois batizar todos os que se tomassem discípulos.

Em Marcos 16:15-16, a ordem é claramente relacionada com a crença no evangelho: "E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado". Os que crêem devem ser batizados, os que não crêem (em seu coração) serão condenados, mesmo se forem batizados. A última frase do versículo mostra definitiva­mente que a salvação depende da fé, e não do batismo.

Paulo confirma isso em Gálatas 3:26: "Pois todos vós sois filhos de Deus mediante a em Cristo Jesus". O versículo seguinte fala do batismo dos que são filhos de Deus. João 3: 16 e Atos 13:38,39 também afirmam indubitavelmente que somente a em Cristo salva.

Batismo no Livro de Atos

Em Atos a ordenança para o batismo é cumprida. Pedro pregou no dia de Pentecostes aos judeus e prosélitos 1 a maravilhosa mensagem da ressurreição do mesmo Jesus que eles tinham crucificado e de sua exaltação à condição de Senhor e Cristo. Quebrantados, eles perguntaram: "Que faremos, irmãos?". Pedro respondeu-lhes:

"Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo ... Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados" e se juntaram aos discípulos (Atos 2:37-38,41).

Aqui, a "remissão dos pecados" está relacionada ao batismo, como também é o caso em Atos 22:16 a respeito de Paulo. Essas são as duas únicas escrituras que falam acerca da remissão ou lavagem dos pecados por meio do batismo. Temos de examiná-las atenta e cuidadosamente.

Note que essas palavras foram dirigidas somente aos judeus - justamente culpados de crucificar Jesus - e a Paulo, .o perseguidor de Cristo e de sua Igreja. Não são para os gentios, como pode ser visto em Atos 10. Os judeus precisavam arrepender-se do fato de terem crucificado a Jesus e manifestar isso publicamente por meio do batismo no nome daquele que haviam rejeitado. Dessa maneira, o pecado público deles seria publicamente lavado e remido pelo batismo. O mesmo se aplicava à perseguição de Paulo a Jesus e a seus discípulos. Aqui, os que receberam a mensagem de Pedro arrependeram-se, creram em Jesus como o Cristo, submeteram-se ao batismo em nome dele, receberam o dom do Espírito Santo e foram salvos.

1. gentios convertidos ao judaísmo

A remissão dos pecados diante de Deus acontece somente pelo arrependimento e pela fé em Cristo Jesus. "Dele todos os profetas dão testemunho de que, por meio de seu nome, todo aquele que nele crê recebe remissão de pecados" (Atos 10:43; veja também Atos 3:19; 5:31; 13:38-39 e Efésios 1:7). Também Atos 2:38 e 22:16, falando do batismo para a remissão e lavagem dos pecados, se referem ao pecado específico, óbvio e público da crucificação do Messias e da perseguição dele e de seus discípulos. Falam da remissão pública e da lavagem destes grandes e específicos pecados.Tais pecados dizem respeito somente aos judeus, e não aos gentios. Portanto, os dois versículos acima se harmonizam com todos os que foram mencionados anteriormente. Mas se forçados a significar remissão de pecados diante de Deus, chocam-se com Atos 10:43, assim como com outras escrituras no tocante ao perdão de pecados. Isto é impossível, porque não há desacordo ou contradição dentro das Sagradas Escrituras.

Depois, em Atos, Filipe volta a Samaria e prega Cristo ao povo. A medida que criam, "iam sendo batizados, assim homens como mulheres" por Filipe (Atos 8:12). Um homem chamado Simão também professou crer e foi batizado, mas logo se tomou evidente que seu coração não era reto diante de Deus. Pedro disse-lhe que estava "em fel de amargura e laço de iniqüidade" e que pereceria, mesmo tendo sido batizado (w. 13, 20-23). Isso refuta vigorosamente a doutrina de que o batismo salva e garante a vida eterna.

O mesmo capítulo fala sobre o oficial etíope que lia as profecias de Isaías a respeito de Jesus Cristo e seus sofrimentos por nossos pecados (Isaías 53). Sem dúvida alguma, ele sorveu ansiosamente as maravilhosas notícias que Filipe lhe contou. A fé, que vem pelo ouvir a Palavra de Deus, agiu na alma daquele homem para que cresse e recebesse a Jesus Cristo. Então desejou expressar a fé interior em Cristo por meio do ato exterior do batismo. Filipe respondeu imediatamente ao pedido dele e "ambos desceram à água". O novo convertido foi batizado e seguiu seu caminho jubiloso (w. 27-39).

Em Atos 10 e 16, o evangelho é pregado aos gentios. Eles creram, receberam o Espírito Santo e foram batizados. O ansioso carcereiro de Atos 16 perguntou: "Que devo fazer para que seja salvo?”, e a resposta foi:

"Crê no Senhor Jesus e serás salvo" (Atos 16:31). Não há nenhuma menção nesse versículo ao batismo como requisito à salvação. Porém, quando essas almas creram em Cristo, receberam o Espírito Santo e foram salvas, então confessaram isso publicamente sendo batizadas em Cristo.

Quando Paulo pregou em Corinto, a ordem era a mesma:

"Também muitos dos coríntios, ouvindo, criam e eram batizados" (Atos 18:8).

Crianças

Em nenhum lugar na Bíblia há um registro de alguém que tenha sido batizado a não ser os cristãos professos, e nunca há menção de crianças sendo batizadas. Algumas pessoas têm presumido que bebês e crianças pequenas estavam incluídas nos batismos familiares em Atos 16:15 e 33, mas o contexto das passagens não dá apoio a tal suposição. No tocante à casa de Lídia, os seus membros são considerados "irmãos" (v. 40); e quanto à casa do carcereiro, a Palavra do Senhor foi pregada a todos e "com todos os seus, manifestava grande alegria, por terem crido em Deus" (v. 34). Tais coisas não poderiam ser ditas de crianças e bebês.

"Deixai vir a mim os pequeninos, não os embaraceis, porque dos tais é o reino de Deus" (Marcos 10:14) é sempre citado quando o assunto é batismo de crianças, mas esse versículo não tem a menor relação com o batismo. Não há nenhuma palavra sequer em todo o contexto que fale sobre batizá-las, e interpretar a passagem desta forma é distorcer essa escritura, isto é, significa ler algo que não está nela. Jesus pegou aquelas criancinhas nos braços, colocou as mãos sobre elas e as abençoou; mas não as batizou.

João 4:2 diz claramente que "Jesus mesmo não batizava, e sim os seus discípulos”. Portanto, ele não as batizou, nem está escrito que tenha dado instruções para outros fazê-lo. "Porque dos tais é o reino de Deus”, disse ele.

Significado Doutrinal do Batismo

Romanos 6:3-5 mostra o significado e o propósito doutrinal do batismo. O apóstolo inspirado escreve: "Ou, porventura, ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte? Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida. Porque, se. fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua ressurreição”.

Esses versículos ensinam que o batismo é a pública identificação com Cristo e com sua morte por nós; é o nosso sepultamento com ele. Descer às águas e ser imerso é entrar na "semelhança da sua morte". É uma figura de sua morte por nós. Dessa maneira, o batizando admite que, sendo pecador, merece morrer. Coloca-se simbolicamente no lugar de morte, onde Cristo esteve, confessando de modo público sua fé na morte de Cristo pelos seus pecados. O velho pecador é colocado na posição de morte e professa ter "morrido com Cristo" (v. 8).

O sair da água simboliza a ressurreição e a confissão de fé do batizando de que é uma nova criatura em Cristo Jesus e de que agora andará em novidade de vida - a vida cristã.

O batismo não dá nova vida, é simplesmente um ato que demonstra que a pessoa já a tem e que se propõe andar nela. 1 Pedro 3:21 afirma que o batismo não remove a imundícia da carne, mas é a resposta de uma boa consciência diante de Deus, obtida pela ressurreição de Jesus Cristo. O que o batismo tipifica - a morte e a ressurreição de Cristo - é o que salva a alma; era a isso que Pedro se referia.

Como Nascemos de Novo?

A respeito do novo nascimento, mencionado no início deste artigo, lemos em João 3:5-7 as palavras do Senhor: "Quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus... Importa-vos nascer de novo".

Alguns dizem que "nascer da água e do Espírito" significa batismo. Ali se nos diz que a água· do batismo e a Palavra d Deus, que está na e com a água, são usadas pelo Espírito de Deu para regenerar a pessoa. Então, segundo alguns mestres, essa pessoa é nascida de novo, e isto é o novo nascimento.

O que a Bíblia indiscutivel­mente declara a respeito do novo nascimento? Como podemos determinar o que é "nascer da água e do Espírito"? Um princípio estabelecido em 2 Pedro 1 :20é útil aqui: "Nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação". Isso significa que não podemos interpretar nenhuma passagem bíblica fora do que é dito nas Escrituras sobre o mesmo assunto nem lhe dar nossa própria interpretação. A Bíblia é sua própria intérprete no poder e iluminação do Espírito Santo, que a escreveu. Uma passagem lança luz à outra.

Então, o que diz a Palavra de Deus sobre o novo nascimento? Em João 3, o Senhor explica como nascer de novo. Ele fala a respeito de crer no Filho do Homem levantado na cruz "para que todo o que nele crê tenha a vida eterna" (v. 15). Não fala nada sobre batismo.

João 1 nos diz que aqueles que recebem Jesus Cristo e crêem em seu nome são filhos de Deus; "os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus" (w. 12-­13). "Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus" (1 João 5:1).

O novo nascimento, portanto, acontece quando se recebe e se crê em Jesus Cristo, o Salvador. É realizado por Deus - não por vontade ou esforços humanos -, que certamente rejeita o batismo feito por homens.

Paulo disse aos coríntios que eles foram gerados "pelo evangelho" (1 Coríntios 4: 15). Tiago escreveu: "Pois, segundo o seu querer, ele nos gerou pela palavra da verdade" (Tiago 1: 18). Pedro acrescentou com muita clareza: "Fostes regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus... Ora, esta é a palavra que vos foi evangelizada" (1 Pedro 1:23,25).

Os versículos acima nos ensinam que a nova vida é comunicada pela Palavra de Deus, a palavra do evangelho, em que se crê na alma. O instrumento e o sacramento que o Espírito de Deus usa para gerar o novo nascimento é a Palavra de Deus, não a água batismal.

Em concordância com isso, Efésios 5:26 dá um exemplo definitivo da água como símbolo

da Palavra de Deus: "Tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra". A luz dessas várias passagens que iluminam João 3:5, só pode haver uma interpretação para "nascer da água e do Espírito". Neste caso, água tipifica a Palavra de Deus, a mensagem do evangelho de Cristo, esta que o Espírito de Deus usa para realizar o novo nascimento no crente.

Essa é a harmonia bíblica: o novo nascimento, que é necessário para entrar no reino de Deus, é produzido pela Palavra de Deus e comunicado à alma por meio da iluminação e poder do Espírito de Deus. Se o batismo é introduzido nesse contexto, cessa a harmonia e surgem as contradições.

Mais uma passagem precisa ser examinada, a qual algumas pessoas utilizam para ensinar a regeneração por intermédio do batismo. "Não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo sua misericórdia, ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo" (Tito 3:5). Essas pessoas dizem que a lavagem da regeneração é feita pela água do batismo.

Entretanto, o versículo mostra que não é por obras nem por nenhuma outra coisa, mas somente pela misericórdia divina é que somos salvos e regenerados pelo Espírito de Deus. Ler 'água de batismo' nesse versículo é um devaneio e algo sem sentido da mente humana, um arrazoa­'mento nas Escrituras, em vez de das Escrituras, como fez Paulo em Atos 17:2.

Boas Obras

Quando uma pessoa é salva não recebe apenas a vida eterna e o perdão dos pecados; ela também habitada pelo Espírito Santo e recebe uma nova natureza que é sensível ao ensino e à direção do Espírito.

Portanto, um crente e Cristo é capacitado pela graça deixar sua luz brilhar diante d homens para que possam v suas boas obras e glorificar a Pai que está nos céus (Mate 5:16). Não fazemos boas obras para ser salvos; nós as fazem porque somos salvos. "Pois somos feitura dele, criados Cristo Jesus para boas obras, quais Deus de antemão preparou para que andássemos nela (Efésios 2:10).

 

Conclusão

Amigo leitor, não é inconfundivelmente claro o que analisamos nas Escrituras Sagradas: que a água do batismo não salva a alma, não produz o novo nascimento, nem a vida divina, pois o propósito do batismo nunca foi esse e ele jamais foi ministrado a alguém nos tempos bíblicos a não ser a crentes professos em Cristo? Você entende plenamente que a remissão dos pecados e o novo nascimento são obtidos apenas mediante uma fé viva em Cristo e em sua obra expiatória por nossos pecados e de modo algum pelo batismo?

Não dependa do seu batismo nem de nenhuma outra obra religiosa para qualificá-lo para o céu. Tais coisas são edificações sobre areia, acerca das quais o Senhor nos advertiu em Mateus 7:26-27 que se desfarão na tempestade do julgamento e quem nelas descansar ficará perdido para sempre. "Porque pela graça sois salvos, mediante a fé ... não de obras" (Efésios 2:8-9).

Abra mão de suas obras e lance-se sobre a graça e a misericórdia de Deus. "Arrepen­dei-vos e crede no evangelho"

(Marcos 1:15). Então você nascerá de novo pelo Espírito e pela Palavra de Deus, será salvo, regenerado, estará seguro de que verá o reino de Deus e entrará nele, pois é um filho de Deus para toda a eternidade. Que o Senhor abençoe sua palavra para que ela penetre na sua alma!

Complementos

As pessoas que foram batizadas por aspersão quando crianças sempre perguntam se devem ser batizadas novamente por imersão quando se convertem e são salvas pela fé em Jesus Cristo.

O batismo é feito em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Isso seguramente é mais importante que qualquer forma errada de batismo. Alguns respeitáveis professores da Bíblia advertem que essa instituição introdutória ao reino dos céus, à esfera da confissão de fé cristã na Terra, não precisa ser repetido.

Todavia, há indivíduos não­-satisfeitos com o seu batismo na idade infantil e desejam ser imersos como crentes em Cristo.

 

Referências para o estudo bíblico - Dicas para a escola dominical