Congresso
Vocę Participaria de um Congresso Bíblico?
Sim
Năo
Ver Resultados

Partilhe esta Página



Total de visitas: 38327
Referęncias para o estudo bíblico
Referęncias para o estudo bíblico

Referências para o estudo bíblico

Um auxílio para professores de escola dominical e amigos da Palavra de Deus.

*Sugere-se que os versículos indicados com asteriscos (*) sejam memorizados.
• As citações entre [] pressupõem maior conhecimento bíblicos e podem ser deixados de lado conforme a idade dos alunos.

ABORDAGENS DO VELHO TESTAMENTO

O PERÍODO ENTRE A CRIAÇÃO E A DISPERSÃO

5. Noé é o dilúvio Gênesis 6-8:19

  1. O motivo do juízo.
  2. A longanimidade de Deus.
  3. Noé achou graça.
  4. A construção da Arca.
  5. O dilúvio.

Explicação e ensinamentos:

Deus é longânimo (*Sl 103:8). Mas por fim Ele castiga e julga (Pv 29:1; SI 73:27).

O dilúvio é uma prova e alusão à realização de um juízo final sobre o mundo (*Mt 24:37-39. Leia ainda 2 Pe 3:1-10). A salvação é mediante a obediência pela fé: Hb 11:7. A arca é uma figura de Cristo (Jo 10:9; 14:6; *At 4:12).

 

6. A aliança de Deus com Noé

Gênesis 8:20-9:20,25-29

Explicação e ensinamentos

O sacrifício de Noé é uma expressão de sua gratidão e uma oferta pelo pecado. A seguir temos a promessa de Deus (Gn 8:21-22); Sua benção (9:1-7) e aliança (9:8-17). Noé cultiva a terra e planta uma vinha; Cam menospreza o pai e é amaldiçoado. Sem e Jafé são abençoados (9:25-27). De Cam originaram-se os cananeus e os mouros; de Sem o povo de Israel; de Jafé os povos europeus[ Para leitura e discussão conjunta: Gn 10:32; Rm 3:12; At 17:26,30-31 e SI 1.]

 

7. A torre de Babel

Gênesis 11:1-9

Explicação e ensinamentos:

A torre deveria ser um monumento à unidade e da vangloria do homem .. Porém Deus faz cair os altivos (Lc 1: 51; *Pv 16: 18; 18: 12) e intervém em juízo. Como resultado veio a confusão das línguas e a dispersão dos povos ("BabeI" significa "confusão"). Deus mesmo quer operar a unidade dos povos; uma casa viva em Cristo por intermédio do Espírito Santo. Até mesmo os jovens na fé, inclusive os de pouca idade, fazem parte desta edificação. [para leitura e discussão conjunta: *Ef 2:17-22; 1 Pe 2:4~5; Ap 5:9-10).

 

A HISTÓRIA DO POVO DE DEUS

OS PATRIARCAS

8. Abraão – (A)

  1. A parentela de Abraão: Gênesis 11:27-28,31-32;
  2. Abraão é chamado e obedece: Gênesis 12:1-8;
  3. A fome e a ida de Abraão ao Egito: Gênesis 12:9-20;
  4. O retorno do Egito e a separação de Ló: Gênesis 13:1-18.

Explicação e ensinamentos:

Abraão acreditou no que Deus disse, atendeu ao seu chamado, deixou a terra e a parentela, que venerava os ídolos (Hb 11 :8). Deus lhe faz uma tripla promessa:

1  uma nova terra;
2 uma grande descendência;

3 nele seriam abençoadas todas as nações da terra.

4 Tudo com vistas ao futuro.

5 Abraão viveu na terra da promessa. como que em terra alheia. [Tão-somente ergueu tendas e um altar (*Hb 11: 9-1 O - que o identificam como peregrino e adorador). A fome é uma nova prova para a sua fé (nos dias antigos o Egito era o "celeiro de grãos") e Abraão tem de voltar para o lugar onde antes tinha o seu altar (Gn 12:8; 13:3-4).]

Abraão é pacífico e prontifica­-se a ceder (Fp 4:5). Já da parte de Lá, a escolha do novo lugar não foi movida pelo temor de Deus (Pv 3:7; Já 28:28). Novas promessas são feitas a Abraão, que agora está só em Manre, porém buscando o SENHOR (*SI 91:1).

 

9. Abraão – (B)

  1. O resgate de Ló e a bênção de Melquidezeque: Gênesis 14:8-24.
  2. A fé de Abraão: Gênesis 15:1-7.
  3. A aliança de Deus com Abraão: Gênesis 17:1-11,15-22.

Explicação e ensinamentos:

Deus castiga Lá pela escolha ímpia; Abraão é poderoso e se dispõe a salvá-lo. Melquisedeque, que vai ao encontro de Abraão, é ao mesmo tempo sacerdote e rei (Hb 7:1-2), uma alegoria de Cristo no seu reino futuro (Hb 7:3; SI 110; Jo 8:58). Note o temor e a inquietação de Abraão e, por outro lado, o consolo e a promessa divina.

Abraão confia em Deus (Rm 4:9-22). A justificação vem pela fé (*Rm 3:28). Deus faz que Abraão espere, e sua fé diminui.

Deus o fortalece em seguida e estabelece com ele uma aliança (cujos selo e emblema são a circuncisão). Nos dias de hoje o crente recebe o selo do Espírito Santo (Ef 1:13 e 4:30). Considere ainda a intercessão de Abraão por Ismael e como foi atendido.

[ 1 A fé purifica (At 15:9); 2 manifesta-se em amor (ex.: a atitude para com Ló - GI5:6); 3 vence o mundo (a vitória de Abraão e sua atitude depois dela - *1 Jo 5:4); 4) preserva o coração da contaminação do mundo (Abraão vive como estrangeiro). ]

 

10. Abraão recebe visita junto aos carvalhais de Manre

  1. A promessa feita a Sara: Gênesis 18:1-15.
  2. Abraão intercede por Sodoma e Gomorra: Gênesis 18:16-33.

Explicação e ensinamentos

Os três homens aqui são Javé1 dois anjos. Abraão usufrui comunhão com o Senhor porque, justificado pela fé, está em paz com Deus (*Rm 5:1) e vive separado deste mundo (Jo 14:23). Sara, por sua vez, teve de ser conduzida à fé. Ela ri-se e duvida, porém mais tarde vem a crer na promessa (Hb 11: 11; Jo 20:29).

1. Os nomes "Javé", "SENHOR" (em letras maiúsculas) ou "Jeová" são equivalentes, e apontam o caráter em que o Senhor Jesus se manifestava na época do Antigo Testamento (N. do T.).

O juízo é anunciado sobre Sodoma e Gomorra. [Abraão é informado dos planos de Deus (Jo 15: 14-15 e Tg 2:23) e vale-­se deste privilégio para fazer intercessão (*1 Tm 2: 1-4). Considere ainda a posição de Abraão:

- perante Deus (era justo);

- com Deus (de fidelidade e separação);

- para Deus (de testemunho e intercessão).]

 

11. O juízo sobre Sodoma e Gomorra

  1. A corrupção em Sodoma: Gênesis 19:1-7.
  2. Ló é salvo: Gênesis 19: 12-22.
  3. A destruição de Sodoma: Gênesis 19:23-29.

Explicação e ensinamentos:

Ló assentava-se na porta da cidade, onde se decidiam as questões políticas e jurídicas. Alcançara uma posição importante em Sodoma. Porém, para obter vantagens exteriores ele se associara ao mundo, se distanciara de Deus, e sua vida de fé tornou-se fraca (*2Pe2:8; *1 Jo2:15). Ele é salvo a muito custo, em consideração a Abraão (Gn 19:29; 2 Pe 3:9), enquanto sua esposa desobediente e de mentalidade mundana encontra a morte (Lc 17:32-33). A destruição de Sodoma é uma alegoria do juízo futuro que acometerá o mundo (2 Pe 2:6 e 3:10).

 

12. Abraão e Isaque

  1. O nascimento de Isaque: Gênesis 21:1-8.
  2. A expulsão de Ismael: Gênesis 21:9-21.
  3. Isaque é ofertado: Gênesis 22:1-19.

Explicação e ensinamentos:  

Ismael é um zombador e persegue Isaque [esta é a relação I entre carne e espírito: Gl 4:29]. Ismael é expulso por instrução I divina (GI 4:30-31). 

O Senhor requer de Abraão I obediência incondicional e I sacrifício daquilo que lhe é mais  querido. Com isso, o coração é sondado e provado (*Pv 23:26).

Abraão não busca conselho com carne e sangue: simplesmente crê e obedece (Hb 11:17-19). Seu proceder é uma alusão à obra de amor que Deus efetuou por nós (*Rm 8:32). Deus escolheu para si um animal substituto até que se cumprisse o tempo em que entregaria o seu próprio Filho. Abraão é recompensado por seu gesto de fé (*Tg 2:21).

 

13. O casamento de Isaque

  1. A morte de Sara: Gênesis 23:1-2 e 19.
  2. O casamento de Isaque: Gênesis 24.
  3. A morte de Abraão: Gênesis 25:5 e 7-10.

Explicação e ensinamentos:

O povo com o qual Deus firmou sua aliança deve ser um povo separado, santo. Portanto, a noiva de Isaque não deve ser nenhuma Cananéia. O servo de Abraão norteia seu proceder na humilde confiança em Javé1 (sua oração junto ao poço). Depois de alcançar êxito, agradece a Deus. Sua prioridade não são os cuidados consigo mesmo (Gn 24:33; Ef 6:5-6). Considere também a prontidão de Rebeca em servir e a sua rápida decisão (Gn 24:58).

Rebeca é uma representação da noiva de Cristo. [Seu chamado e sua exaltação têm origem no propósito e no juramento de Abraão;por sua vez, a salvação da noiva de Cristo, no eterno propósito de Deus, na Palavra e nas promessas dele (Ef 1:3-4; Rm 8:29-30; Hb 6:17-20).]

Elieser é uma representação do Espírito Santo. Ele busca a noiva [testemunhando de Abraão e Isaque, assim como o Espírito], convidando os pecadores para virem ao Salvador (Lc 14:17). [Ele perscruta as profundezas de Deus (1 Co 2:10~11), testemu­nhando e falando do Filho (*Jo 16:13-15). A viagem de Rebeca a Canaã ao encontro de Isaque é uma alegoria do caminho da noiva de Cristo pelo deserto ao encontro do Senhor, sob a direção do Espírito Santo (*Rm 8:14; *Fp 3:20).]

Morre Abraão (SI 92: 12-15).

 

Uma tão grande salvação - Parte 9