Revista Leituras Cristãs

Conteúdo cristão para edificação

Não há Nada de Novo Debaixo do Sol

O sábio rei Salomão meditou muito, em sua vida, sobre tudo o que há debaixo do sol, ou seja, sobre a terra. Então ele chegou à seguinte conclusão:

“O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol. Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? Já foi nos séculos passados, que foram antes de nós” (Eclesiastes 1:9-10).

Se agora pensarmos nas muitas invenções que os cientistas desenvolvem diariamente nas mais diversas áreas, como da eletrônica, técnica, química, física, etc., não existe aí uma contradição?

Poderia ser que o rei Salomão se enganou, ele, que era mais sábio do que todos os homens? (1 Reis 4:31). Mas os versículos acima estão na Bíblia, e a Bíblia é a verdade absoluta, onde não há contradições nem erros (João 17:17).

Com base em alguns exemplos do tempo presente, veremos como isso pode ser compreendido.

Reciclagem. Produto dos tempos modernos?

Em algumas indústrias de hoje, prevalece a percepção de que devem ser comercializados apenas produtos que já foram projetados e desenvolvidos para serem recicláveis e que não poluam o meio ambiente. O problema do lixo deve ser resolvido dessa forma.

Certamente, esta é uma boa ideia, porém, não é nova!

O Criador já aplicou o princípio da reutilização, da reciclagem, em Sua criação.

As árvores, por exemplo, produzem anualmente uma quantidade considerável de ‘resíduos’, ou seja, as folhas que caem no chão.

Elas serão totalmente recicladas. As folhas de outono não permanecem no chão por anos, como uma garrafa de plástico descartada.

A camada de folhas caída no chão, primeiro, protege a pequena vegetação do frio do inverno. E quando, na primavera, a camada de folhas deixa passar luz suficiente de modo que as plantas que estão germinando debaixo dela possam se desenvolver bem, então as bactérias do solo transformam as folhas em húmus, que então, por sua vez, serve de alimento para as árvores.

Portanto, não há nada de novo debaixo do sol!

O paraquedas. Invenção ou cópia?

O primeiro salto de paraquedas de um homem, ocorreu por volta do ano 1860. Através de um grande paraquedas (naquele tempo era redondo) de tecido, sob o qual estava pendurado um homem por muitas cordas finas, a velocidade da queda era reduzida de tal forma que, geralmente, podia aterrissar sem se ferir.

Com os parapentes de hoje, que são bem desenvolvidos, podem ser percorridos maiores distâncias, inclusive com ganho de altura.

Mas também este princípio foi “copiado” do Criador, por exemplo, da semente de dente de leão.

Quando a flor amarela desvanece, surge uma bola branca formada por uma porção de pequenos “paraquedinhas”, cada um com uma, ou até mesmo várias sementes penduradas.

Quando o vento sopra em uma bola dessas, os “paraquedinhas” saem voando e carregam as sementes para algum lugar, onde então, nascem novas plantas de dente de leão.

Portanto, também aqui não há nada de novo debaixo do sol!

Tecnologia de computadores. Já existiu?

Pensemos em nossos computadores modernos, dos quais nós tanto nos orgulhamos.

Eles podem armazenar cada vez mais dados em espaços cada vez mais reduzidos. E eles tem condições de processar estes dados cada vez mais rápido. Isso lhes dá surpreendentes possibilidades de utilização.

Mas, mesmo neste caso é encontrada uma analogia na criação.

Em nosso corpo, por exemplo, cada célula individualmente tem uma quantidade incrível de informações armazenadas em um espaço inimaginavelmente pequeno, como nenhum chip fabricado por mãos humanas tem até hoje.

Então se pode considerar que no núcleo de uma célula com volume de 100-500 μm³ existem¹, de fato, 10⁹ pares² de bases (= portadores de informação) armazenados.

Em termos de velocidade de processamento, é interessante notar que, quase cada uma das nossas 10⁹ células nervosas dispõe de cerca de 10.000 conexões.

Ou seja, uma única célula nervosa estaria em condições de garantir a comunicação telefônica de uma cidade de médio porte.

Vemos também que a velocidade da “troca de dados”, tendo em conta a complexidade da “rede” em nossos corpos, não é comparável a nenhum processador idealizado pelos homens.

Portanto, novamente, nada de novo debaixo do sol!

Estes exemplos não apenas nos mostram que realmente não há nada de novo debaixo do sol, mas também quão inimaginavelmente grande e glorioso é nosso Deus Criador. Ele também criou a nós, homens, maravilhosos e sem pecado.

Mas o primeiro casal humano, Adão e Eva, caiu em pecado, e desde então todos os homens são pecadores.

Para salvar tais pecadores, como eu e você somos desde o nascimento, Deus precisou fazer algo totalmente novo. Ele enviou desde o céu — portanto “acima do sol” — Seu próprio Filho para a terra. Isto era algo totalmente novo, que nunca houve e também nunca mais haverá novamente; que não pode, e nem precisa ser copiado por nenhum homem. Ele nasceu como homem, para morrer na cruz do Gólgota por homens pecadores.

Todo aquele que nEle crê não se perderá, mas é um homem salvo, cujo destino não está mais debaixo do sol. Ele pode saber que seu destino, para toda a eternidade, é junto ao seu Redentor no céu.

M. G.

¹ μm = micrômetro . É uma unidade de comprimento do Sistema Internacional de Unidades (SI) , definido como 1 milionésimo de metro e equivalente à milésima parte do milímetro.
² 1 seguido por 9 zeros.
[js-disqus]